A justificativa é simples: é preciso investir no desenvolvimento dos profissionais para alcançar diferenciais competitivos e manter-se vivo no mercado. No Brasil, embora a oferta de mão-de-obra seja alta, em muitas áreas há um déficit significativo por profissionais qualificados. E se a qualificação não atende todas às necessidades das empresas, é hora de treinar e